O que é uma ART (Anotação de Responsabilidade Técnica)?

Uma ART (Anotação de Responsabilidade Técnica) é um documento feito por um profissional legalmente habilitado que sua obra, será feita dentro das normas e não causara problemas ao prédio, garantido a qualidade em todas as etapas. Instituída pela Lei nº 6.496/77. Toda a documentação deverá ser realizada em duas vias, sendo uma ao sindico e uma ao morador.

Para o profissional, o registro é importante porque garante os direitos autorais; comprova a existência de um contrato, principalmente em caso de contratação verbal; garante o direito à remuneração, pois pode ser usado como comprovante de prestação de serviço; define o limite das responsabilidades, respondendo o profissional apenas pelas atividades técnicas que executou.

Para o consumidor, a ART serve como um instrumento de defesa, pois formaliza o compromisso do profissional com a qualidade dos serviços prestados. Em casos de sinistros, identifica individualmente os responsáveis, auxiliando na confrontação das responsabilidades junto ao Poder Público, e tem ainda, força de contrato.

Para o beneficiário de um serviço ou obra que demanda conhecimentos técnicos, a apresentação do ART pelo profissional responsável dá uma segurança jurídica e técnica maior ao serviço. Fica muito mais fácil, por exemplo, responsabilizar a empresa ou profissional por possíveis erros e falhas na execução do projeto, quando elas ocorrerem. Quando não há a ART, há casos em que a justiça não considera a causa, e é difícil (ou impossível) responsabilizar alguém pelos erros.

Nos serviços prestados pela Home Help Instalações & Reparos a ART pode ser fornecida.

Tipos de Soquetes – Bicos de Lampadas

No mercado de iluminação, contamos com diversos tipos de lâmpadas e consequentemente com diversos tipos de soquetes. Porém essa grande variedade muitas vezes acaba por confundir o consumidor na hora da compra.

Antes de falarmos sobre os tipos de soquetes, gostaríamos de falar para que serve e qual sua finalidade. O soquete tem como função a fixação do produto e a conexão elétrica. Sendo assim, uma lâmpada quando encaixada no soquete correto, fará a conexão, permitindo que a lâmpada seja ligada ou desligada.
Geralmente o soquete de sua lâmpada é especificada na embalagem da mesma. Atente-se a esse fator para que não haja confusão na hora da compra.

Citaremos aqui alguns dos soquetes mais comuns a serem usados, e logo em seguida uma tabela contendo grande parte dos soquetes hoje disponíveis no mercado.

E27 – Esse modelo é o mais comumente usado nas residenciais, podemos dizer que este é o modelo padrão no mercado. Esse soquete tem como característica fazer a fixação da lâmpada através de uma rosca, por isso esse soquete é popularmente conhecimento como “Soquete de Rosca”. Normalmente lâmpadas incandescentes, lâmpadas fluorescentes e lâmpadas de LED utilizam esse tipo de soquete.

Gx5.3 – Popularmente esse é conhecido como Bipino, exatamente por possuir essa aparência. Esse soquete era produzido e comercializado até Janeiro de 2013 para lâmpadas dicroicas (MR11 e MR16) nas voltagem de 12v, 127v, 220v ou Bivolt. Porém, por normas da ABNT, esse soquete foi permitido para produção e comercialização apenas para lâmpadas 12v. Esse padrão passou a ser substituído pelo Gu10.

Gu10 – Esse é um padrão de soquete novo, seu uso obrigatório em lâmpadas dicroicas (MR11 e MR16) entrou em vigor em Fevereiro de 2013, substituindo o padrão GX5.3, que será usado somente em lâmpadas 12v. O Gu10 será usando tanto para lâmpadas de voltagem 127v/220v/Bivolt. Diferente do seu antecessor, esse tipo de soquete proporciona uma melhor fixação, dando uma maior segurança à instalação do produto.