Fechamento ou envidraçamento de sacadas

É alteração de fachada? Quais as regras e quórum para aprovação?

Não é novidade para ninguém o fechamento ou envidraçamento de sacadas. Dessa forma, a unidade ganha um pouco mais de proteção contra o frio e o vento – além, é claro, de alguns metros quadrados a mais.

Porém, ao se decidir pelo fechamento, alguns cuidados devem ser tomados:

O primeiro é aprovação em assembleia, já que tal intervenção, dependendo de como for feita, pode ser caracterizada como alteração de fachada. O segundo, é justamente aproveitar a votação para definir uma padronização da estrutura que será aplicada, como caixilhos, vidros, modelo, etc., evitando-se assim, que cada um faça do seu jeito. 

E não é só isso. Muitos condomínios vêm enfrentando problemas e desentendimentos internos, pois se esquecem de definir regras sobre o que será permitido ou não ao explorar este espaço, que – diga-se de passagem – continua sendo a fachada do prédio, mesmo tendo sido fechado com vidros.

Será que será permitido o uso de insul film ou colocar quadros ou pendurar cortinas? Mudar a cor da parede?

Por isso, é importante que o condomínio decida também a respeito da padronização desses chamados acessórios internos. Dessa forma, mantém-se a fachada do edifício harmônica e evita-se possíveis questionamentos e conflitos de interesses entre os condôminos.

Caso o condomínio ainda não tenha uma norma sobre o tema, é interessante votá-la o mais breve possível para oficializar a questão e evitar a proliferação de sacadas diferentes para cada unidade, e o consequente decréscimo no valor do imóvel.

É importante também que haja grande grau de detalhamento sobre o tema. Deve-se votar o tipo de vidro escolhido e sua cor – geralmente, opta-se pelo incolor que aletra menos a fachada -, se haverá película protetora, e a cor dos perfis. Também deve entrar no debate se o envidraçamento será para todos e se será estipulado um prazo para que os condôminos contratem o serviços.

Tipos de vidro

A grande discussão atual é pela escolha entre os vidros temperados e laminados. Cada tipo tem seus prós e contras.

O vidro temperado aguenta até 400 km/h de vento, uma resistência bastante alta. Porém, ao ser quebrado, esse vidro se estilhaça e gera fragmentos, o que pode ser perigoso caso ele se solte. Para evitar esse problema, muitos condomínios escolhem pela instalação do vidro com película.

Vale lembrar que nesse caso os vidros devem ser trocados a cada dez anos, já que nesse período de tempo a película resseca e perde sua eficácia.

Já o vidro laminado tem menor resistência à força do vento: aguenta “apenas” 200 km/h.  Apesar disso, quando quebrado, ele apenas trinca, não soltando  nenhum tipo de fragmentos. O laminado comum é pouco mais caro que o temperado. Caso se opte pela película, chega a ficar até 15% mais caro que o seu equivalente do vidro temperado.

Não há diferença de peso entre os dois materiais.

Redes de proteção

Especialistas entendem que redes de proteção podem ser caracterizadas como alteração da fachada, entretanto, por ser um item de segurança, não há necessidade de aprovação em assembleia. Mas a cor ou padrão da tela a ser usada, recomenda-se que seja definida em assembleia.

Quórum para aprovação

O ideal é que todas as proibições e permissões relacionadas a alteração da fachada e áreas comuns dos condomínios estejam na Convenção, já que, dessa maneira, o condomínio tem um argumento mais forte em caso de ações judiciais. Para alterar a convenção são necessários 2/3 dos votos de todos os condôminos.

Entretanto, na prática e no dia-a-dia do condomínio, alterações na convenção não são fáceis de se conseguir, e muitos síndicos acabam optando por aprovar certos tipos de mudanças, cada vez mais comuns, diretamente na assembleia. Vale ressaltar, porém, que tal procedimeto não é recomendado, pois isso não isenta o condomínio no caso de uma possível ação judicial da parte que se sentir prejudicada.

De uma maneira ou de outra, o importante é sempre oficializar com os moradores as decisões e as alterações que podem ser feitas nas fachadas e áreas comuns.

Fonte: https://www.sindiconet.com.br

Botijão de gás – QUANDO SUSPEITAR DE VAZAMENTO EM BOTIJÃO DE GÁS

O síndico tem o dever de zelar pelo bem-estar e segurança de todo mundo que habita o condomínio, portanto, ele deve estar atento a tudo o que acontece ao seu redor e, principalmente, aos sinais de que algo não vai bem. Suspeitar ou saber detectar vazamento em botijão de gás, por exemplo, é muito importante e pode evitar acidentes gravíssimos como incêndios, explosões, asfixia ou intoxicação.

Indícios de vazamento em botijão de gás

Detectar vazamento em botijão de gás não é nenhum bicho de sete cabeças e há alguns indícios básicos que, geralmente, chamam atenção:

O  conteúdo do botijão acabou muito antes do previsto ou a conta de gás está bem acima do normal

Se você usa o convencional botijão de gás e está acostumado que ele dure por determinado período,  deve ficar atento caso a duração seja bastante reduzida. Já se o gás for encanado e a conta vier acima do normal isso também pode ser um indício de vazamento de gás. 

Cheiro de gás no local

O gás tem um cheiro bastante peculiar e fácil de identificar. Logo, se você sentir o cheiro, não ignore e procure investigar a causa, pois certamente há vazamento no local. 

O que fazer em casos de suspeita de vazamento em botijão de gás

Um teste muito simples que você pode fazer em casos de suspeita de vazamento em botijão de gás é aplicar sabão neutro em uma esponja macia e passar ao redor da conexão entre o regulador de gás e o botijão na área adjacente. Se surgirem bolhas de ar, significa que há vazamento. Neste caso, feche o registro do gás e contate a empresa que forneceu o botijão de gás.

Já para o gás encanado, é feito o teste de estanqueidade de GLP, que verifica as condições de toda a tubulação e conexões garantindo que não haja vazamento e que todo o sistema esteja funcionando em segurança.  

Detectei o vazamento em botijão de gás. E agora?

  1. A primeira dica é manter-se calmo para agir com tranquilidade, rapidez e assertividade.
  2. Comunique as pessoas próximas ao local para que mantenham distância.
  3. Feche o registro do gás.
  4. Abra as janelas da casa ou do apartamento para o ar circular.
  5. Se a chave de energia ficar fora da residência (e apenas nesse cenário), desligue – a.
  6. Cada situação pode trazer obstáculos e dificuldades inesperadas, logo, não exite em comunicar o corpo de bombeiros para receber as orientações corretas sobre como agir.

O que não fazer em casos de suspeita de vazamento em botijão de gás

  1. Não acenda aparelho eletrônico e nem mesmo a luz, pois qualquer uma dessas atividades podem soltar faíscas de energia e começar um incêndio ou ocasionar uma explosão.
  2. O mesmo vale para o uso do ventilador para fazer o gás circular rapidamente. O mais seguro é abrir as janelas e deixar o ar entrar naturalmente.
  3. Usar o celular próximo ao ambiente do vazamento também pode ser perigoso, então, afaste-se caso precise atender ou fazer uma ligação.
  4. O seguro morreu de velho. Por isso, vale a pena ressaltar que cigarro, fósforo, isqueiro, vela ou qualquer outro material inflamável também devem ser mantidos longe do local com suspeitas de vazamento em botijão de gás.
  5. Nunca tente estancar o vazamento de gás com fitas isolantes ou qualquer outro material, pois isso pode agravar ainda mais o problema. Esse procedimento deve ser feito apenas por um profissional especializado

Como prevenir o vazamento em botijão de gás

  • A coisa mais importante a se fazer para evitar vazamentos em botijão de gás é comprá-lo apenas de fornecedores autorizados e que oferecem assistência em casos de problemas detectados. 
  • Além disso, você deve observar o estado de conservação do botijão e do lacre de segurança. Uma outra dica importante é verificar se o nome da Companhia Distribuidora de Gás é o mesmo no lacre, no rótulo e no corpo do botijão.  
  • O botijão de gás deve ser instalado em um local arejado, porém protegido do sol e da chuva, de preferência do lado de fora da casa.  
  • Lembre-se de fechar o registro do gás sempre que não estiver usando-o, principalmente, se você mora em apartamento e vai viajar, pois o apartamento ficará muitos dias fechado.

Seguindo essas dicas básicas de segurança, as chances de vazamento serão reduzidas consideravelmente e sua família e vizinhos estarão muito mais seguros.